Cavaleiro Andante

20.7.05

Turista por uma semana


Tendo passado a última semana e picos na Madeira e nas Canárias, em pleno gozo de férias, decidi fazer um exame tão isento e distanciado quanto possível às condições de que disfruta o turista nesses arquipélagos, de modo a compará-las com as proporcionadas nos Açores - claro que os destinos são diferentes, que os segmentos de mercado são distintos e que os anos de experiência não são comparáveis.

Cheguei facilmente a duas conclusões básicas: em primeiro lugar, enquanto os nossos hotéis são camas com um edifício à volta (e, com sorte, um jardinzinho), na Madeira e nas Canárias, os hotéis são encarados como um espaço de lazer, um local de entretenimento, podendo o turista, no limite, nem sair do complexo durante toda a sua estadia; em segundo lugar, tanto nas Canárias como na Madeira, as pessoas não ajuizam socio-culturamente o turista, precisam dele e procuram fazer de tudo para que ele também venha a precisar delas, enquanto que no nosso burgo ainda há quem julgue que o paraíso na terra se basta a si próprio e que o importante é que as mochilas sejam Louis Vitton.
Cavaleiro Andante 4:16 da tarde

10 Comments:

Meu Caro
a questão não está na marca das mochilas, o problema do nosso turismo é estarmos total e infelizmente dependentes de turistas que não gastam cá dinheiro thats the problem
espero que as férias tenham sido proveitosas :)

(preciosismo estupido: Louis Vuitton) ;)
Caro Pedro, eu se fosse cá turista também contaria muito bem os tostões. É caro, a qualidade média dos serviços relacionados com a actividade turística é baixa e as escolhas são muito limitadas.
Quanto ao preciosismo, não seria preciso se não tivesse havido o erro inicial. No harm taken. :)
Meu Caro
quando eu digo que os turistas não deixam cá dinheiro remeto a culpa, ou parte dela, também para nós. Concordo obviamente contigo, a oferta é´na generalidade má, digo-o mesmo sendo eu parte interessada. Mas há uma questão que tutela tudo isto, quem tem a obrigação de defenir e implementar políticas de desenvolvimento, quer na captaçaõ de mercados, quer na criação de infraestruturas e de oferta, são os Governos. Infelizmente a grande maioria da nosso iniciativa privada não tem pernas para o fazer e a pouca que tem está se a marimbar para isto tudo.
Enfim meu caro, sabes que esta é uma discussão que me interessa...
um abraço
:)
não sabia que era assim, na minha terra...
beijos.
Os turistas que cá vêm têm fama de também não deixarem dinheiro nos outros países... Quando visitam a Finlândia, levam os carros cheios de comida para nem fazerem compras!

O que não se percebe é porque se condicionou a nossa publicidade turística exactamente para ESSE mercado...

Quanto à nossa oferta, também temos de pôr a mão na consciência e ver que é pobre. Não tanto em termos de hoteis - já temos muitos na paisagem, e eu não queria uma Madeira nos Açores... - mas em termos de transportes, infraestruturas e divertimentos... Nem só de Hotel vive o turista!
Concordo com a conclusão acerca dos hóteis mas penso que, nos Açores, não temos de caminhar no mesmo sentido de dotar as unidades hoteleiras como centros de entertenimento per si, como o que se encontra em muitos outros locais, como os referidos. Temos de ser diferentes e procurar complementar a nossa, por agora já razoável, oferta de camas com outros programas ocupacionais, essencialmente baseados no disfrute do nosso património natural.
tem de se internacionalizar , mochilas vuitton já era e as gucci tb , experimentem uma da Dior ou da Fendi, pelo mesmos não existem tantas imitações ...
Ora Caro André... para exame isento e distanciado, a conclusão é devastadora.
Sabes bem que uma coisa são resorts e outra são hoteis. E sim por cá não temos resorts... já que também o tempo no inverno não o permitiria, e além disso o que de melhor temos é a paisagem, não o sol, e como tal interessa que os turistas saiam dos hoteis.
Existem hoteis com jardins espectaculares (Terra nostra), com actividades variadas (curso de mergulho no hotel caloura), assim como uma piscina e uma praia execpcional mesmo á porta (bahia palace)... no entanto numa coisa concordo contigo... é que (por exemplo) servir sumo de laranja concentrado ao pequeno almoço em hoteis de 4 estrelas... só mesmo por cá!
Perdoem-me a desactualização em relação às mochilas - prometo informar-me. Quanto a resorts, hotéis e etc., a ideia não era misturar as coisas mas antes chamar a atenção para a falta de perspectiva de quem faz hotéis nos Açores. São camas e uma sala de refeições.
Gostei do teu ponto de vista, Francisco, e também sou da opinião que a 'atitude' vende... além das infraestruturas, claro. :)

Um []

Add a comment